Fogueira

Fogo aproxima. Fogo acalma.

Fogo destrói.

Fogo esquenta. Fogo alimenta.

Pra você, minha amiga de sorriso largo e de tiradas rápidas,

amiga de uma vida, dedico o fogo de uma noite perdida em Junho de 2016.

O fogo que nos levou de volta ao passado, que nos deixou apreciar o presente,

e nos fez olhar para o futuro.

 

Com amor,

Ainda voltando de férias

Já tem alguns dias que chegamos em casa, depois de três semanas no Brasa. Embora as malas estejam desfeitas, as roupas lavadas, a casa dentro do possível organizada, e a geladeira abastecida, ainda me sinto como se estivesse voltando de férias, como se ainda tivesse um vôo pra apanhar, e malas pra desempacotar.

Nesta minha vida eSTRANGERa, férias se tornaram sinônimo de final de semana na casa dos pais (sabe quando a gente, que já saiu da barra da saia, vai encontrar com a família e ter um longo almoço de domingo) e tudo que está incluso quando visitamos o “berço” onde crescemos e criamos nossos vínculos sociais. Férias pra mim é ir ao banco na Praça da Catedral, tomar uma com os amigos, cafezinhos com bolo, pizza, x-egg em um carrinho de lanche (estrangerizado na categoria gourmet para food truck), banana para os macacos no bosque em Águas da Prata, sorvete de Prestigio na sorveteria da Angelina, e passeio no trenzinho do Maurício aos domingos. Esquema roots!!!

Acontece que nestas últimas férias, essas das três semanas passadas, fui atingida diretamente no peito pelo acaso chamado: VIDA. Aquele lance, sobre o qual já escrevi, de querer planejar o dia, mas o dia não te planejar nele.

Em primeiro lugar, descobri que meu corpo – sempre reclamando do frio – não se deu conta do quanto se adaptou à vida no hemisfério norte. Que calor é esse??? Gente pelamor como é possível ser produtivo depois do almoço no Brasil??? Entendo que seguimos um calendário, que existem leis, que o pessoal descansa a noite.. blá blá blá.. mas pelo bem estar de uma nação é preciso repensar esses horários. Sei que parece loucura, mas acreditem, se feito corretamente a vida seria mais feliz e menos suada.

Mas vai, mesmo com tanto calor, ainda dá pra aproveitar. E esse era o plano. Mas, novamente, vida vem e traz surpresas. Os acasos. As coisas que não estavam no script: estomatite, ressaca, virose, diarréia. E lá se vão duas semanas tentando equilibrar os cuidados com a família com a ânsia de me reconectar com minhas raízes. Tudo isso em dois idiomas e suando.

Exhausting!!!

Engraçado é que independente do cansaço, da preocupação, e da sensação de que deixei muito pra trás, nenhuma obra do acaso tira meu contentamento e alegria pelos momentos que pude compartilhar com aqueles que amo. Férias tomaram outro sentido desde que virei eSTRANGERa. Quero conhecer, explorar, e estar em diferentes lugares, ao mesmo tempo em que preciso de uma noite com meus irmãos (os de verdade e os escolhidos) e do sorriso dos meus sobrinhos.

Não sei se é assim com todo mundo que mudou de território. No meu caso, nesta batalha de férias ainda ganham os momentos que me fizeram quem sou e que ensinarão meu filho entender mais sobre mim e suas raízes.

Até 😉

Se você tem algum comentário ou quer compartilhar o que pensa:

As vezes é assim que acontece…

… a gente planeja a semana, mas a semana simplesmente não planeja a gente.

Dias tumultuados esses que têm passado por mim. Criança, escola, marido, casa, comida, roupa limpa, esportes, um blog, e um freela. Eu acredito. Eu sei que posso. E ai… e aí no final do dia a bateria acaba. Eu olho pro computador sentado do meu lado e tudo que quero fazer é me acabar nos braços do Don Drapper (eu agora tô numa fase de economizar capítulo pra não me sentir órfã do Mad Men).

Então vou de notinhas nesse post:

  1. A crise no Brasil está uma bosta. Mas o cheiro é menos pior observando de longe. É difícil filtrar as informações e tentar se manter imparcial no julgamento. Por isso, tento lembrar que não tenho o poder de julgar ninguém, e que o trabalho da justiça está sendo feito. Sou de um país democraticamente jovem e ainda cheio de erros. Um país livre mas ainda assustadoramente machista, preconceituoso, desigual, e dividido. No passado eu acreditei na chance de um governo honesto. Também tive a chance de um in-sight no outro lado da força, que só muda de cor e mora em bairros mais tradicionais da cidade. Governo eleito é governo eleito. Sabia? Eles estão lá porque uma maioria os quis lá. Tudo no plural. Presidente é singular. Presidente não governa sozinho, ou melhor, sozinha. E assim, também não é culpada sozinha.

Enquanto isso, a Spectrum (Sirius XM radio) está tocando sem parar uma música chamada “Brazil”, de Declan McKenna… batida gostosa, letra interessante. O musico tem 17 anos. PASSADA !!! Curte aí essa versão ao vivo, com um poster do Pelé no fundo:

 

2. Não tô curtindo essas mudanças do Instragram. E você? Vamos ver no que vai dar. Um dos planos de Instagram combinando aqui com o eSTRANGERa será o IG sobre mulheres e motos. Por aqui, o movimento está crescendo assustadoramente. DELICIA. Está na hora das brazucas que curtem uma motoca se organizarem e mostrarem que a gente não gosta de garupa.

3. Você tem Netflix? A Chelsea Handler – que é atriz, comediante, escritora, former host de um programa na E! e agora contratada da Netflix -, tem uma série chamada Chelsea Doeschelsea-handler.jpg que VALE MUITO A PENA conferir. A Chelsea tem um humor seco, sarcástico, as vezes desconfortável, mas muito sincero. Daí que ela levou esses atributos para uma série investigativa que aborda temas que permeiam nosso dia-a-dia. Os primeiros quatro episódios são consequentemente sobre: Casamento (Chelsea Does Marriage), Vale do Silicone (Chelsea Does Silicon Valey), Racismo (Chelsea Does Racism),  e Drogas (Chelsea Does Drugs).

4. Você curte tirar foto com celular e publicar por ai? Curte uma foto de pôr do sol, ou uma expressão dramática, tirar foto das suas aventuras, fazer uma selfie? Sabia que existe um movimento chamado mobgrafia que estimula a arte de fotografar e gerar conteúdo usando plataformas mobile. Pois é… eu não sabia disso até pouco tempo atras. Adorei aprender. Tem até uma marca a mObgraphia, que promove esse movimento. Eu aprendi sobre a mObgraphia e a mobgrafia porque dia 9 de abril tem a quinta edição do Encontro com Propósito, em São Paulo, e desta vez o tema será fotografia de celular. O fotógrafo Ricardo Rojas, um dos fundadores do movimento, é o convidado e ele vai falar muito sobre foto mobile e como podemos descondicionar nosso olhar. Bunitu isso hein!!!

Pessoas queridas é isso, por enquanto. eSTRANGERa vai se despedindo.

Até 🙂